Yara Bernardo


Um dia desses, ela me pediu pra fazer uma postagem sobre ela, sobre o que eu penso, o que eu gosto, o que eu não gosto. E eu disse que isso já estava nos meus planos, mas seria para o aniversário dela (12/11), mas a pessoa é tão apressada que falei que ia escrever logo...

Yara: escreve algo pra mim ?
Nanda: tipo o que??
Yara: algo de mim, o que vc acha de mim
Nanda: na verdade eu ia fazer isso mesmo, mas seria pro seu niver
Yara: ihh vai demorar xD
Nanda: menina apressada.. aff
Yara: sou, vai que eu morro ate la u.u
Nanda: ¬¬
Yara: ai tu vai ter que fazer pro velório e eu nem vou ouvir =/
Nanda: no final eu coloco assim: "onde quer que você esteja, espero que esteja me ouvindo agora"
Esse foi o real motivo pra eu fazer logo...

Bom, o que dizer dela? Dizer o quanto a amo e que ela é a irmã que eu não tive? Pra que dizer isso se ela já sabe?
Às vezes acho que não é preciso dizer o quanto a gente gosta de uma pessoa, porque acho que com as nossas atitudes já dá pra perceber... Na verdade é que eu num gosto de demonstrar sentimentos, me sinto frágil em relação a isso. Mas vejo o quanto a pessoa fica feliz quando lembramos os nossos sentimentos. E quando eu a lembro disso, eu vejo aquele sorriso que só ela sabe dar. O que eu não gosto é quando um desses sorrisos deixa escapar um fio de tristeza, nessa hora eu sei quando ela não está bem. Engraçado, em tão pouco tempo a gente já é tão próxima ao ponto de saber quando a outra não 'tá bem.
Na verdade tudo começou (quando Deus criou a Terra) quando ela começou a fazer o mesmo curso que eu, curso de (perda de tempo) TI. E foi uma coisa bem simples:

- Oi, qual o teu nome?
- Yara, e o teu?
- Fernanda!

Na primeira semana começamos a nossa amizade fazendo um trabalho no qual era uma equipe de três pessoas, mas só duas fizeram, eu e ela. Mesmo assim, não aprendemos por completo e aquela frase "não tenha pena de ninguém" ainda ecoa nas nossas mentes. Assim, passamos a ter uma coisa em comum (ainda temos pena dos outros). Depois passamos a nos descobrir aos poucos. Vimos que gostamos do mesmo estilo de música, de roupas, gostamos de História, de Uno, de livros, de idiotas que nos fazem chorar, de tirinhas, de coisas bestas, de leite, de Vampire Diaries, do Ian Somerhalder *-*. Na verdade temos muito em comum.
O que eu mais gosto é de fazê-la rir, de encher o saco, assim como ela faz comigo. E quando a gente fica 'cantando' no MSN músicas bregas, samba, pagode e até funk, Deus do céu logo funk.
Mas, como nem tudo são flores, sempre tem a parte chata, os problemas. Mas sempre é assim, a gente solta os cachorros, chora, conta tudo o que tá sentido pra outra, depois assiste Friends, ri pra caramba e onde ficam os problemas quando estamos juntas? Vão pro espaço, porque o nosso tempo deve ser perdido com coisas boas e não chorando e se descabelando o tempo todo.
E agora o que eu tenho pra dizer é: Obrigada por me aturar, por me defender, por me fazer sentir a melhor pessoa do mundo, por me ajudar quando preciso, por me dar sermão quando erro, por me colocar pra cima nos momentos difíceis, por ser minha amiga! E você sabe que pode contar comigo pra tudo, né?
Te amo!

1 pensamento(s) diverso(s):

Escritora por acaso! disse...

É muito bom ter amigos de verdade, ao qual podemos contar em todos os momentos. Foi como disse em uma de minhas postagens: Pessoas extraordinárias são meteoros designados para se encendiarem de modo que a Terra seja iluminada!

=)