"Ela debruçada na janela, encantada com o luar.
Seus cabelos cor de sangue dançavam à carícia da brisa gélida.
Sabia, não estava só.
Ao virar-se seus olhos encontraram outros olhos. Negros. Que a devoravam.
Sentiu um arrepio imensurável. Mas não sabia se era de um pavor intenso ou um de incontrolável desejo.
Sentiu que mãos lhe apertavam, como garras de um aminal sedento. Não resistiu mais.
Ele a beijou. Ela concedeu..."

Post antigo, muito antigo mesmo...

0 pensamento(s) diverso(s):