If this is giving up, then maybe I'm giving up

Deitada sobre travesseiros e lençóis, já é madrugada, imagino a vida de um personagem passar diante de meus olhos, fechados.
Vejo seu mundo. Ele não era muito diferente do nosso, o fato que o diferenciava era que lá os sonhos eram sentidos, vividos.
Não demorou muito para eu abrir os olhos e sentir falta daquilo que acabei de imaginar.
Levantei. Pensei em sair em plena madrugada, sentir o vento frio da noite, caminhar sem direção e com os pés literalmente no chão, descalços.
Meus pensamentos vão além das barreiras de minha mente, sinto que a qualquer momento eles irão tomar conta daquilo que mais aprecio na vida: a Vida.
Sinto falta de tanta coisa, principalmente daquilo que não aconteceu ainda.


"Eu só queria ter do mato um gosto de framboesa
Pra correr entre os canteiros e esconder minha tristeza
E eu ainda sou bem moço pra tanta tristeza...
E deixemos de coisa, cuidemos da vida
Senão chega a morte ou coisa parecida
E nos arrasta moço sem ter visto a vida"
Canteiros - Fagner

0 pensamento(s) diverso(s):