We are already to many worlds away...


― E você não acredita, não é?

― Há tempos deixei de acreditar que Papai Noel existe, que o coelho da Páscoa põe ovos coloridos e nas suas promessas.
― Você não era assim quando te conheci.
― E você cumpria suas promessas quando te conheci.

...: Silêncio :...

― Não disse. Você mudou, aquela menina que conheci agora é mulher e...
― E deixou de ser boba. E não acredita mais em conto de fadas. E não se ilude mais tão facilmente. E, apesar de tudo, ainda te ama.
― E ainda me deixa sem chão e sem ar quando estou ao seu lado.
― Não começa, não caio mais nisso.
― Nisso o que?
― Seus jogos. Você perdeu a graça.
― Mesmo ainda me amando?
― Só porque te amo, não quer dizer que desejo passar por tudo mais uma vez.
― Nunca pensou que poderia ser diferente?
― Você sabe que não dou “segundas chances”. E, se dou, sempre me arrependo. E doeu bastante, você sabe disso. Sabe o que eu passei, o que eu senti, o que eu chorei.
― Desculpe-me por isso.
― Não quero suas desculpas e nem estou lhe culpando por nada. Mas se existir mesmo um livro da vida e se isso era para ter acontecido assim, então nós dois somos culpados pelo o que aconteceu.

...: Silêncio :...

― Preciso ir. Amanhã é um novo dia e quero esquecer o dia de hoje. Até mais.
― Até.


“Senta aqui, espera que eu não terminei
Pra onde é que você foi
Que eu não te vejo mais?”
Tá Bom – Los Hermanos

0 pensamento(s) diverso(s):