Pensamentos avulsos

Ultimamente os sentimentos querem e precisam continuar contidos nesse pequeno espaço apertado que dança ritmicamente ao seu próprio som.
Estrofes perdidas entre baladas e poemas são incapazes de descrever a imensidão de pensamentos que flutuam em um mar de segredos.
Mas eu sento, com uma agenda e um lápis em mãos, e transcrevo tudo aquilo que me afeta. Pensamentos ilusórios, palavras nunca ditas, respostas sem perguntas. Histórias de uma vida inventada para uma personagem sem temores, alguém que nunca existiu.
Doces são os sonhos que anseiam por realidade, mas não estamos aqui apenas para sermos felizes. Precisamos primeiro aprender, conviver, entender.
Por favor, eu não quero lições de moral ou de vida. Não preciso que me apontem meus erros, pois conheço todos eles e não me orgulho e nem me arrependo. O correto seria, ao invés de me atacarem com acusações, me perguntarem o porquê de isso tudo ser assim. Mas tudo bem, me acostumei com a culpa.
E então vai chegar um dia em que estamos frente a frente novamente, falando sobre os mesmos assuntos, rindo ou chorando, com raiva ou não. Será que um dia o arrependimento vai nos bater à porta? Será que ainda seremos atormentados pelo passado?
Meu bem, o passado já não existe. Não importa o quão ruim ou o quão bom foi. Ele não mora mais aqui. O mesmo sentimento já não nos cabe, só precisamos renovar ou deixar passar. O que for melhor.
Sabe, todos nós somos imperfeitos e eu já pesei a minha cota de imperfeição. Talvez não seja a maior de todas e também não quero dizer que é a menor. Só queria mesmo entender porque é tão difícil de me entender.
Tudo bem, tudo bem. Eu já não me importo mais e continuo a escrever, dessa vez parto para aquilo que me faz bem, mesmo que à distância. O melhor de tudo é que não me é pedido nada em troca, nada além de alguns minutos ou horas de conversas sem sentido. Pode não ser completamente real, mas, enquanto me fizer sorrir nos momentos de mais precisão, eu estarei lá.
Faço um breve resumo de tudo o que me aconteceu nos últimos tempos e então escrevo um soneto à meia-noite e talvez tudo volte ao seu devido lugar.


0 pensamento(s) diverso(s):